Psicóloga Sílvia Regina Simões

Psicóloga em Jundiaí – Psicoterapia clínica infantil, adulto e terapeuta de casal


Deixe um comentário

Palestra no Nemp do UniAnchieta é sucesso de público

palestra selfie sala unianchieta psicologa silvia regina simões

Os personagens dificeis de lidar na vida real, que convivem conosco no trabalho e na faculdade, foram o tema da palestra gratuita ao público, oferecida pelo Núcleo de Empregabilidade (NEMP) do UniAnchieta Jundiaí, no sábado (24), pela manhã. A psicóloga Sílvia Regina Simões foi a profissional convidada pelo núcleo e sugeriu o tema, muito bem aceito pelos estudantes e comunidade que compareceram em massa ao evento.

20180324_103900

A palestra foi estruturada de forma a dar uma noção sobre o conceito de personalidade do ponto de vista do behaviorismo de B.F. Skinner, teórico da área, bem como caracterizar quem são, como se apresentam e de onde vêm as pessoas que costumam desafiar o bom senso e causar danos no convívio em grupo organizacional e acadêmico. Além disso, a parte “Manual de Sobrevivência” ensinou os presentes a já lidarem com situações críticas a partir dali.

palestra nemp personagens difíceis

“São personagens manipuladores, opressores, que tomam nosso tempo e energia, ajudam muito pouco e comprometem a qualidade de nossa produtividade e relações. O trabalho e a faculdade podem representar 1/3 e às vezes até 2/3 do tempo que vivemos num dia e saber lidar melhor com as pessoas faz muita diferença”, afirma a psicóloga Sílvia Regina Simões.

É o terceiro ano consecutivo que a profissional apresenta conteúdo no UniAnchieta, através do Nemp. Nos anos anteriores falou-se sobre a Técnica Pomodoro de administração de tempo e foco nos estudos e Administração de Conflitos.

As inscrições para as vagas limitadas se esgotaram rapidamente e a sala esteve lotada no dia da apresentação. Os próximos temas levados aos alunos e comunidade pelo Nemp são:

unnamed

CONTEÚDO DA PALESTRA

Conforme prometido na ocasião, a psicóloga Sílvia Regina Simões disponibiliza o material da oficina no UniAnchieta para os interessados. Basta entrar em contato pelo email s.silvia.psicologa@gmail.com para solicitar os slides. Seguem abaixo, os vídeos e a lista de direitos mencionada na palestra, para uso dos interessados:

VÍDEO ILUSTRATIVO “O CHATO DO CONTRA” – GILMAR MENDES E BARROSO

VÍDEO INSTRUTIVO EMOÇÕES E SENTIMENTOS – PEDRO CALABREZ

VÍDEO ILUSTRATIVO “A FÁBULA DOS PORCOS E ESPINHOS”

LISTA DE DIREITOS HUMANOS BÁSICOS DE VICENTE CABALLO – COMPLETA

1. O direito de manter sua dignidade e respeito – inclusive se outra pessoa sente-se ferida – enquanto não viole os direitos dos outros.
2. O direito de ser tratado com respeito e dignidade.
3. O direito de negar pedidos sem ter que sentir-se culpado ou egoísta.
4. O direito de experimentar e expressar seus próprios sentimentos.
5. O direito de parar e pensar antes de agir.
6. O direito de mudar de opinião.
7. O direito de pedir o que quiser (entendendo que a outra pessoa tem o direito de dizer não).
8. O direito de fazer menos do que é humanamente capaz de fazer.
9. O direito de ser independente.
10. O direito de decidir o que fazer com o próprio corpo, tempo e propriedade.
11. O direito de pedir informação.
12. O direito de cometer erros – e ser responsável por eles.
13. O direito de sentir-se bem consigo mesmo.
14. O direito de ter suas próprias necessidades e que essas sejam tão importantes quanto as dos demais.
15. O direito de pedir (não exigir) aos demais que correspondam às nossas necessidades.
16. O direito de decidir se satisfaremos as necessidades das pessoas.
17. O direito de comportar-se seguindo seus interesses – sempre que não viole os direitos dos demais.
18. O direito de ter opiniões e expressá-las.
19. O direito de decidir se satisfaz as expectativas dos outros.
20. O direito de falar sobre o problema com a pessoa envolvida e esclarecê-lo, em casos em que os direitos não estão totalmente claros.
21. O direito de obter aquilo pelo que se paga.
22. O direito de escolher não se comportar da maneira mais adequada.
23. O direito de ter direitos e defendê-los.
24. O direito de ser ouvido e levado a sério.
25. O direito de estar só quando quiser.
26. O direito de fazer qualquer coisa enquanto não viole os direitos de outras pessoas.

***

QUER LEVAR ESSA OU OUTRA PALESTRA COM A ESPECIALISTA PARA A SUA EMPRESA OU INSTITUIÇÃO GRATUITAMENTE? ENTRE EM CONTATO.

 

Anúncios


Deixe um comentário

Necessidades e preocupações de cada fase da vida – e como lhe afetam

fases-da-vida

Veja como uma família pode ver de formas diferentes a mesma coisa, dependendo da fase da vida em que está! A criança vê a estabilidade familiar como segurança às suas necessidades básicas; as relações sociais externas são as mais importantes para um adolescente, representam seu desafio; adultos buscam relacionamentos estáveis, em meio aos desafios de trabalho e idosos tendem a colocar suas preocupações no desgaste do tempo sobre sua saúde, que prejudica sua autonomia e requer apoio familiar.

crianca-com-um-balao_318-59009.jpgPais que brigam diante dos filhos pequenos comumente verificam problemas com a criança na escola, no convívio doméstico e chegam à psicoterapia com crianças medrosas, ansiosas, com dificuldades de aprendizagem. Uma família que não consegue prover um ambiente adequado à criança a expõe a vulnerabilidade psicossocial. 

491183438Adolescentes que sofrem rejeição social ou têm dificuldades escolares podem apresentar sintomas graves de depressão, estresse e ansiedade e participação escolar ou social podem ser seriamente prejudicadas. Eles se tornam explosivos e arredios e muitas vezes a instabilidade de humor é confundida com psicopatologias da personalidade. 

 

508960626Adultos que sofrem com longos períodos de desemprego ou que não conseguem manter relacionamentos estáveis, também adoecem como um todo. O humor é o primeiro impactado e o corpo vai dando sinais de que é preciso parar e pedir ajuda. Por vezes a demora em buscar ajuda leva a quadros mais complexos de ansiedade, depressão e estresse. 

 

202104-200Idosos que conseguiram preparar-se financeiramente para a velhice têm outros grandes desafios envolvidos no envelhecer. A fase idosa é pouco valorizada em nossa cultura e a transição é quase sempre difícil. Diferenciar alterações biológicas e comportamentais que afetam o humor e funcionamento global do idoso é um desafio. 

Observar o infográfico com a reunião de indivíduos de cada fase da vida, juntos, leva a uma reflexão importante:

Se usarmos nossos parâmetros para dar importância ao que os outros sentem, nossa convivência será pouco satisfatória, senão caótica!

A rejeição social sofrida por um adolescente é tão grave e dolorosa quanto a doença de um idoso e o problema de relacionamentos do adulto é tão grave e doloroso quanto as dificuldades de alfabetização de uma criança.

ponto-de-exclamacao

É claro que um adulto pode sofrer doenças limitantes e preocupar-se com autonomia e suporte familiar mais cedo na vida. E uma criança que não se adapta ao ambiente escolar vai sofrer o déficit de habilidades sociais. As necessidades e preocupações listadas são um referencial da vida ocidental, tendo como base nossa cultura e demandas típicas da idade.

imageslp_jui

Caso qualquer necessidade ou preocupação da sua fase de vida esteja em risco, busque a ajuda de um psicólogo. Como profissionais, somos capazes de analisar e mostrar alternativas da melhor forma possível para conquista de bem estar e saúde.

Um forte abraço!

 


1 comentário

Procrastinação – estágios, causas e combate

Procrastinação é um comportamento que traz muita insatisfação para quem o pratica. Vai-se do adiamento ao desespero com muita intensidade e, no meio do caminho, perde-se tempo precioso, energia e por vezes até dinheiro – sem falar na saúde. Mas que condições tornam a procrastinação tão frequente e como combatê-la?

74904_303362023118008_1413180759_n

Em geral, pode-se destacar 5 fases da procrastinação, como na tirinha acima:

  1. Falsa segurança: Você não analisa corretamente as variáveis envolvidas na tarefa e superestima sua capacidade de atender às demandas ou simplesmente foi reforçado no passado ao deixar pra última hora e dar conta;
  2. Preguiça: “Se um corpo está em repouso ele irá permanecer neste estado até que uma força externa seja aplicada neste corpo”, essa lei de Newton se aplica perfeitamente à preguiça. E como explicarei abaixo, nem sempre há uma força externa (do ambiente) a ser aplicada sobre nós para que deixemos a inércia;
  3. Desculpas: Tentamos nos enganar, usando de subterfúgios para fundamentar nossa inércia diante da necessidade cada vez mais urgente;
  4. Negação: Começamos a nos sacrificar, negando a crescente impossibilidade de realizar a atividade com certa dignidade;
  5. Desespero: O estresse se instala e nos exaurimos para realizar a tarefa procrastinada.

 

PORQUE ACONTECE

A condição necessária para a realização de uma tarefa pode estar ausente, outras tarefas mais prazerosas podem competir com a que está sendo procrastinada, o custo de resposta para efetivar a atividade pode ser alto, ou seja, levará muito tempo, energia, dinheiro, exige envolver outras pessoas.

104777-200

As pessoas só costumam se levantam para realizar a tarefa quando o ponteiro do relógio lhes empurra. Essa seria a força externa aplicada sobre a inércia. Mas você pode decidir pela sua consciência, deliberadamente, iniciar a tarefa e criar as condições ideiais para realizá-la.

COMBATENDO A PROCRASTINAÇÃO

Incentive-se a envolver-se com a ação inicialmente por 5 minutos. Você não vai deixar de ver TV, dormir, namorar ou qualquer outra atividade por um longo tempo. São só 5 minutos! A probabilidade de você se engajar na tarefa e continuá-la por mais tempo é grande. Mas se não conseguir prosseguir…

Divida a tarefa em pequenos bloquinhos; valorize a realização de cada um deles. Valem mais 5 minutos várias vezes bem antes do prazo do que uma noite inteira em claro, com baixa qualidade de trabalho e estresse prejudicando sua saúde e desempenho!

77520-deixa-preguica-de-estudar-pra-la-com-diapo-4

E lute para eliminar a procrastinação do seu dia a dia!

Boa sorte e um forte abraço!

 


1 comentário

PALESTRA GRATUITA – Organize sua rotima, administre melhor seu tempo

13524345_1054221927965398_4870354908871944293_n

Seja para garantir o máximo de aproveitamento e foco no trabalho, nos estudos ou na rotina dentro de casa, a palestra gratuita apresentada pelas psicólogas Sílvia Regina Simões e Raquel Araujo neste sábado, 2 de julho, vai capacitar o público a fazer mudanças reais e importantes em sua vida cotidiana.

Através da Técnica Pomodoro, as psicólogas abordarão a melhor forma de organizar-se no tempo e nas atividades do dia a dia e ensinar a técnica que ajuda a lidar com as distrações. Conceitos da psicologia permearão a apresentação do conteúdo, contemplando o projeto que promove o evento, chamado Psicologia no Cotidiano.

“Muitas pessoas hoje em dia acumulam diversas atividades e, embora trabalhem ou estudem muito, sentem-se frustradas e aborrecidas com a sensação de baixo desempenho e aproveitamento. A Técnica Pomodoro propõe uma forma de viver o dia a dia que elimina essa sensação e potencializa o desempenho e aproveitamento. E é tudo muito simples, só precisamos de um timer e algumas listas!”, explica a psicóloga Sílvia.

O evento é gratuito e vale como horas complementares para cursos de gradução. Não é necessário inscrever-se antecipadamente. A promoção é da Interanálise Clínica de Psicologia em parceria com a Biblioteca Municipal Nelson Foot.

SERVIÇO

Palestra Gratuita “Técnica Pomodoro na Administração de Tempo”
Hora: 10h
Dia: sábado, 2 de julho de 2016
Local: Biblioteca Municipal Nelson Foot
Endereço: Av. Dr. Cavalcanti, 396, Centro, Jundiaí, SP

 

 


3 Comentários

Dica da Psicóloga – Estabelecer prioridades na vida adulta – vínculos e amor

Blog_familia (1)

O trabalho, o cumprimento das tarefas dos estudos, as necessidades da casa, muitas vezes, podem tirar o nosso sono e fazer com que foquemos na eliminação de uma lista de interminável de afazeres urgentes, negligenciando momentos de verdadeiro prazer junto das pessoas que amamos. Esse é um grande desafio da vida da adulta, que deixa muitos ansiosos, estressados e deprimidos pelo caminho.

No entanto, os vínculos que estabelecemos ao longo dessa fase dependem do nosso cuidado, atenção e carinho. E são esses vínculos que, na eventualidade de provações no trabalho, nos estudos e na casa, dão apoio para que possamos suportar as adversidades e nos reerguer.

“Devo deixar meu trabalho e ficar com a minha família, então? E o que vamos comer e vestir?”

Não! A ordem é conciliar e saber ofertar cuidado na necessidade e afeto, atenção de qualidade num tempo reservado à convivência com os seus vínculos, que deve ser o mais frequente possível.

Cada um tem o seu modo e tempo de priorizar o amor aos seus e isso deve ser respeitado. Mas a realidade contida na citação abaixo, de que o afeto negligenciado hoje não pode ser compensado amanhã, deve ser sempre observada.

citações rosa prioridades adultos amor

Se está com dificuldades de organizar seu dia a dia para oferecer atenção de qualidade e carinho a quem você ama, consulte um psicólogo e busque terapia. Organize o seu tempo e atue em prol de seu prazer, daqueles que você ama e que são realmente preciosos para você!

//

foto site círculo silvia regina simoes psicologaSilvia Regina Simões
Psicóloga Clínica
Jundiaí – SP