Psicóloga Sílvia Regina Simões

Psicóloga em Jundiaí – Psicoterapia clínica infantil, adulto e terapeuta de casal


Deixe um comentário

Indicação de leitura – 16 doenças mentais que confundimos com virtudes

saudemental-frente

Sensualidade, necessidade de atenção, perfeccionismo, produtividade, bondade, submissão. Quando entramos em contato com extremos em relação a essas características consideradas quase sempre virtudes em nossa sociedade, a linha que nos separa do doentio se torna tênue demais!

Indico a leitura do texto apontado no link abaixo, do psicólogo Frederico Mattos, falando sobre comportamentos notáveis em nós e em nossos pares no dia a dia que, quando em excesso, podem comprometer seriamente nossa saúde mental.

16 DOENÇAS MENTAIS QUE CONFUNDIMOS COM VIRTUDES – por Frederico Mattos

E você? Qual é a sua virtude “perigosa”?

Um abraço*


Deixe um comentário

Terapia em Jundiaí pelo convênio Bradesco Saúde

bradesco-saude-640x196

Usuários do convênio médico Bradesco Saúde já podem realizar psicoterapia em Jundiaí com a psicóloga Sílvia Regina Simões. Para agendar sua primeira consulta, ACESSE AQUI ou entre em contato por WhatsApp no telefone (11) 9 9615 8632. Há horários nos três períodos do dia, inclusive aos sábados.

whatsapp-image-2016-11-29-at-4-42-40-pm

Para iniciar a psicoterapia pelo convênio Bradesco Saúde, basta ir até um médico e solicitar um encaminhamento para tal e depois agendar sua sessão com psicóloga Sílvia Regina Simões. O consultório fica no Centro de Jundiaí, com fácil acesso.

Caso você não tenha o convênio médico Bradesco, a psicóloga Sílvia Regina Simões faz atendimento particular, individual e para casal e fornece documentação necessária para reembolso em diversos planos. Consulte condições.

SERVIÇO

terapia psicologia jundiai individual silvia regina simoes

O quê: Psicoterapia em Jundiaí pelo convênio Bradesco Saúde
Quem: Psicóloga Sílvia Regina Simões
Como: Basta solicitar a qualquer médico um encaminhamento simples para psicoterapia
Quando: Após ter em mãos o encaminhamento, agende sua sessão
Onde: Rua Anchieta, 204, 16º andar, sala 1602 – Uffizi Business & Medical Center, Jundiaí, SP


Deixe um comentário

Falta de vontade – por que sinto isso e como lidar?

desanimada

Apesar das quase infinitas possibilidades de problemas de comportamento apresentados pelas pessoas, uma queixa é praticamente unânime entre as que procuram psicoterapia: falta de vontade, no sentido de desânimo – de sair, de trabalhar, de conversar, de comer, de estudar, de fazer sexo, de sair da cama.

A “falta de vontade” é extremamente limitante e está envolvida com a supressão de comportamentos relevantes no cotidiano da pessoa. Alguém sofre uma diminuição da frequência de certos comportamentos que antes lhe davam prazer pela redução do mesmo ou até mesmo por ser punido em situações em que antes era recompensado.

Pense no seguinte: Você está envolvido em várias atividades todos os dias. De repente, o trânsito no caminho de sempre fica complicado (punição) por causa de uma obra (variável incontrolável), você começa a se atrasar e não dá tempo de tomar aquele café gostoso antes de começar a trabalhar (punição). A frequência com que o telefone toca aumenta (variável incontrolável), pois seu colega que o atendia está de férias (variável incontrolável) e suas tarefas rendem menos (punição).

São várias punições em um pequeno recorte de uma manhã de trabalho!

Preguiça-cansaço-e-desânimo-300x223

A combinação de variáveis incontroláveis (que geralmente você nem parou para analisar e saber que 1º são variáveis determinantes na punição e 2º pensar que são incontroláveis), mais punição decorrente delas é uma poderosa arma anti vontade.

A situação do exemplo pode gerar a falta de vontade de trabalhar ao acordar pela manhã. E aí você não compreende o porquê e vai parando de fazer coisas que traziam satisfação junto das coisas que traziam punição, intensificando essa sensação, aumentando a frequência e abrangência do comportamento “negativo” – remoção de algo que você fazia antes.

animo-michelangelus

Na psicoterapia, são feitas as análises das relações funcionais que resultam nessa queixa de “falta de vontade”. Reconhecemos as variáveis envolvidas, buscamos alterar as controláveis e buscar alternativas de conduta diante das não controláveis. E, ao se deparar com a consequência das novas relações estabelecidas, a “vontade” volta!

Uma professora minha, a psicóloga Emileane Oliveira, sempre diz “É preciso emitir uma resposta antes, para receber o reforço depois”. Primeiro nos comportamos e depois recebemos as consequências, de preferência recompensadoras, frente ao nosso investimento! Mas também, antes de uma punição, sempre há uma ação ou omissão nossa. Fique de olho!

IMPORTANTE: A falta de vontade em nossa rotina pode ser um sintoma importante relacionado a várias psicopatologias. Caso esteja sofrendo prejuízos decorrentes desse sentimento, procure ajuda profissional com um psicólogo e um psiquiatra.

Um forte abraço*

 

 

 

 


Deixe um comentário

Depressão – o que as pessoas deprimidas sentem?

Quando pensamos em depressão, lembramos imeditamente de tristeza. Mas há outros muitos sentimentos incapacitantes ou que causam intenso sofrimento boicotando a vida de quem está nessa condição.

O gráfico abaixo ilustra bem a situação.

depressão gráfico o que sente

Desânimo, desesperança, autoaversão, isolamento, ansiedade, tristeza, culpa, dores sem causa física aparente, fraqueza, cansaço… Enfim, essa grande mistura de sensações e sintomas tornam a depressão tão arrasadora na vida das pessoas.

O gráfico dá um exemplo, mas a parcela de importância de cada sensação ou sintoma é variável.

Conhece alguém que sofre de depressão? Se identificou com a maior parte dos sintomas? Procure sempre ajuda especializada.

Forte abraço*

 

 


4 Comentários

Bichos de estimação e seus benefícios para a saúde – Animais e psicologia

Eles não verbalizam seus desejos ou sentimentos, mas demonstram carinho e conseguem comida como ninguém! São fofos e podem ter penas, escamas, pelos, etc. Uma coisa é unânime, o amor que cultivamos na interação com eles é um dos mais puros e apreciáveis de nossas vidas. Estou falando dos bichos!

gente apaixonada por bichos

Gato, cachorro, porquinho da índia, passarinho, cobra, cavalo, etc. São muitas as possibilidades. De inteligência apurada, estabelecem um sistema amplo de comunicação não verbal conosco. A interação afetiva com os bichos altera o funcionamento químico do nosso organismo, elevando a produção de oxitocina, hormônio que provoca sensação de bem estar, que faz com que nos sintamos “amados”.

Além disso, habilidades humanas importantes são reveladas por pessoas que adoram bichos. Responsabilidade e atenção às necessidades do animal no cuidado doméstico, capacidade de perceber um grupo distinto de respostas do animal que denotam afeto, devolver esse afeto, ter o que se chama “compaixão” no senso comum para com o outro ser, que carece de cuidados e tratamento diferenciado, dado seu tamanho, meio em que vive, etc.

Bichos-de-estimação

A paixão pelos bichos revela essas importantes habilidades, enquanto a indiferença e inaptidão no interagir com eles, ao contrário, é, inclusive, critério diagnóstico para psicopatologias graves, como o transtorno de conduta. A negligência aos cuidados ou agressividade sem remorso direcionada aos animais são os sinais.A incapacidade de discriminar sinais de amor direcionados a si é outro sintoma, em menor grau atribuído a problemas de formação de autoestima e em maior grau, a transtorno de personalidade como o borderline.

Como suporte em terapia, a inclusão de animais tem se mostrado grandes benefícios no tratamento de autismo e depressão, especialmente entre crianças e idosos. Aos adultos, que sofrem mais frequentemente com ansiedade e estresse, o simples pensar no bichinho de estimação que deixou em casa pode tirar o foco dos problemas e o acariciar e conviver com o bichinho, garantir melhoria da autoestima, relaxamento e bem estar.

Confira no infográfico, mais algumas vantagens e dados interessantes sobre a relação homem x bicho de estimação, na Psicologia:

infografico-sobre-beneficios-dos-animais

Um ótimo dia a todos!

//

foto site círculo silvia regina simoes psicologaSilvia Regina Simões
Psicóloga Clínica
Jundiaí – SP