Psicóloga Sílvia Regina Simões

Psicóloga em Jundiaí – Psicoterapia clínica infantil, adulto e terapeuta de casal


Deixe um comentário

HABILIDADES SOCIAIS – 3 formas simples de conquistar a antipatia dos outros – e alternativas para ser simpático

Quando queremos estar na presença de alguém, costumamos dizer que a pessoa é agradável e inspiradora. Quando queremos distância, dizemos que a pessoa é antipática, desagradável. Listo aqui 3 coisas que este último caso costuma fazer que garante a resistência a colaboração, afastamento, má impressão dos outros e as alternativas simpáticas, para ser agradável e inspirador:

12022015luisEikeBatista

1 – Falso elogio – destaca uma característica positiva, rebaixando quem a produz

Algumas frases são típicas dessa postura: “Você está ótimo pra sua idade”, “Por ter se formado em tal lugar, você é bem eficiente”, “Pessoas da sua posição social não conquistam metade do sucesso que você já alcançou”. O elogio afronta e diminui a pessoa de alguma forma, como se nada tão bom fosse esperado da pessoa e ela “até que” surpreendeu “sendo quem é”. Evite a todo custo elogiar assim!

ALTERNATIVA – O elogio sincero: Especifique aquilo que a pessoa faz ou é de bom. Descreva como ela faz. Fale sobre o impacto positivo que tem sobre você. Exemplo: “Você tem uma aparência jovial, ativa, empolgante. Gosto do jeito leve como conduz sua vida”. Ou “Sua eficiência garante uma forma mais prática e inteligente de realizarmos as tarefas por aqui, aprecio muito sua colaboração”.

por-que-chefes-arrogantes-sao-prejudiciais

2 – Comparação – para se enaltecer, rebaixa o outro

Exemplos de manifestações comparativas: “Meus resultados no treino não são tão bons, mas estou melhor posicionado que meus colegas de trabalho”. “Quando tive bebê, não me queixava tanto da gravidez quanto essas mulheres de atualmente”. “Sou muito mais forte emocionalmente que outras mulheres, pouca coisa me derruba”. Você pode ser ótimo, sem que outra pessoa seja inferior. Isso gera uma torcida dos demais pela sua derrota, além do afastamento.

ALTERNATIVA – Falar positivamente sobre si: Tenho obtido resultados razoáveis no treino e quero ainda mais! Sinto que tenho feito algo significativo”. “Minha gravidez foi relativamente tranquila, no meu tempo. Sinto que fui privilegiada”. “Busco me fortalecer e me manter firme diante dos desafios que enfrento. Cair diante de pouca coisa não é uma opção pra mim”.

large_thumb_candidate-1687175-2015-04-15-14-28-46

3 – Falsa humildade – fala sobre algo que lhe parece acima da média, em seguida emite um julgamento que inferioriza o que acabou de dizer

Exemplos: “Passei no exame da ordem na primeira tentativa. Nem estudei, só tive sorte”. “Consigo ler 3 livros densos ao mesmo tempo, sei de gente que lê muito mais que isso de uma vez e mais rápido”. “Deixei um carro popular no IR do ano passado, esse governo é um filho a mais pra gente sustentar”.

ALTERNATIVA – Escolha pessoas íntimas e relevantes e compartilhe seus êxitos com elas. Isso evita comentários “atenuantes” que só passam a impressão de arrogância. Prefira falar assim: “Passei no exame da ordem na primeira vez em que me inscrevi. Me preparei minimamente e obtive um resultado maior do que esperava”. “Estou lendo 3 livros ao mesmo tempo, é uma superação pra mim, pretendo melhorar o ritmo e prazo com o tempo e me aprimorar nessa prática”. “Meus rendimentos foram ótimos no ano passado, mas o imposto de renda é altíssimo, desanimador”.

TIMIDEZ, INTERAÇÕES SOCIAIS E HABILIDADES ADQUIRIDAS

Há muito mais pessoas tímidas e com dificuldades em suas interações sociais do que imaginamos. Até mesmo pessoas expansivas, tidas como extrovertidas, escorregam e travam em determinadas situações, ficando descontentes com os resultados de seus investimentos em relacionamentos.

Existe uma linha de estudos na psicologia intitulada HABILIDADES SOCIAIS que identifica déficits e treina indivíduos para se colocar de forma mais efetiva em sua comunidade.

timido-miniatura-800x586-112376

Em meus atendimentos, ofereço a aplicação do Inventário de Habilidades Sociais para detectar quais são as dificuldades e facilidades no repertório comportamental do paciente e realizo o treino para instalar repertório de habilidades.

Não leve “carisma” como um dom natural. Suas relações podem e devem ser melhoradas por aprendizagem deliberada de técnicas que outras pessoas, às vezes, aprendem pelo acaso, durante a vida.

Um abraço*

 

Anúncios


Deixe um comentário

Déficit de atenção em adultos – avaliação com teste neuropsicológico para diagnóstico de TDAH em Jundiaí

post-it-desk-art

Desde a década de 70, estudos multidisciplinares dão atenção a um conjunto de sinais e sintomas hoje denominados Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) em adultos. Impulsividade, desatenção e hiperatividade, mais evidentes em crianças e adolescentes, são comportamentos carregados também para a vida adulta. A psicóloga Sílvia Regina Simões realiza diagnóstico em Jundiaí de TDAH em adultos. inclusive com aplicação do teste neuropsicólogo chamado WAIS III, instrumento padrão-ouro não diagnóstico do transtorno.

A impulsividade, desatenção e hiperatividade típicos do TDAH se manifestam em adultos, por exemplo, das seguintes formas:

  • Condução perigosa de veículos;
  • Assumir um excesso de compromissos na vida diária;
  • Terminar impulsivamente relacionamentos;
  • Irritar-se com facilidade e persistentemente;
  • Ter dificuldades para ler, manter conversações ou manter-se focado nas atividades do dia a dia;
  • Desorganização que parece insuperável;
  • Procrastinação com notáveis prejuízos em todos os setores da vida,

O diagnóstico do déficit de atenção em adultos (TDAH adulto), no que diz respeito ao papel do psicólogo, exige entrevistas, coletas de dados sociais e da ontogênese (história de vida) do indivíduo, bem como a aplicação do teste neuropsicólogico WAIS III – e outros. A avaliação psicológica é indispensável, ainda assim, é necessária a investigação também nos campos da fonoaudiologia e neurologia.

Testes-para-adultos-com-tdah1

“É preciso descartar a manifestação de transtornos de humor e personalidade, bem como quadros de ansiedade em suas diversas manifestações, para caracterizar o déficit de atenção em adultos”, explica a psicóloga Sílvia Regina Simões, sobre o diagnóstico de TDAH adulto. “É um trabalho minucioso e bastante especializado”, completa.

tdah-desatento

Para realizar a avaliação psicológica de déficit de atenção em adultos com a psicóloga, basta agendar uma consulta por AQUI ou pelo telefone/whatsapp (11) 9 9615 8632. Além do diagnóstico psicológico, a psicoterapeuta atua na abordagem analítico comportamental e realiza psicoterapia com adultos.

 


Deixe um comentário

Terapia em Jundiaí pelo convênio Bradesco Saúde

bradesco-saude-640x196

Usuários do convênio médico Bradesco Saúde já podem realizar psicoterapia em Jundiaí com a psicóloga Sílvia Regina Simões. Para agendar sua primeira consulta, ACESSE AQUI ou entre em contato por WhatsApp no telefone (11) 9 9615 8632. Há horários nos três períodos do dia, inclusive aos sábados.

whatsapp-image-2016-11-29-at-4-42-40-pm

Para iniciar a psicoterapia pelo convênio Bradesco Saúde, basta ir até um médico e solicitar um encaminhamento para tal e depois agendar sua sessão com psicóloga Sílvia Regina Simões. O consultório fica no Centro de Jundiaí, com fácil acesso.

Caso você não tenha o convênio médico Bradesco, a psicóloga Sílvia Regina Simões faz atendimento particular, individual e para casal e fornece documentação necessária para reembolso em diversos planos. Consulte condições.

SERVIÇO

terapia psicologia jundiai individual silvia regina simoes

O quê: Psicoterapia em Jundiaí pelo convênio Bradesco Saúde
Quem: Psicóloga Sílvia Regina Simões
Como: Basta solicitar a qualquer médico um encaminhamento simples para psicoterapia
Quando: Após ter em mãos o encaminhamento, agende sua sessão
Onde: Rua Anchieta, 204, 16º andar, sala 1602 – Uffizi Business & Medical Center, Jundiaí, SP


Deixe um comentário

Você está sofrendo abuso? Teste aqui

estoy-embarazada-5-senales-tempranas-que-haran-saber-si-vas-a-ser-mama-malestar

Você sente sua autoestima no chão, por vezes. Já se tornou tão frequente sentir raiva, que seu estômago e sua cabeça doem. Vem um pequeno impulso para responder, mas não há forças para falar. Um sentimento de “não adianta” toma conta de você. E qualquer alternativa para se livrar da situação parece pouco viável. Essa é uma descrição de alguém sob forte abuso, situação que não acontece uma vez, mas é diária, em pequenas doses que podem ter suas explosões.

O abuso pode ser moral, físico, financeiro. Há quem sofra os três ao mesmo tempo. Dependendo da saúde emocional da vítima, muito dificilmente ela conseguirá dar um basta ao ciclo de violência sozinha. E essa saúde emocional já não muito forte tende a se enfraquecer cada vez mais sob as práticas abusivas do outro.

relacionamento-abusivo

Não precisa ser um(a) parceiro(a) a cometer o abuso. Pode ser um pai, uma mãe, um irmão, um chefe, um colega de trabalho, um “amigo”, um professor, etc. Geralmente, uma relação vertical de poder está envolvida.

E você? Se sente abusado por alguém ou pelas pessoas em geral? Responda às questões abaixo e descubra em que medida está sofrendo violência moral, física ou financeira de alguém:

  1. (__) [3 pontos] A pessoa está “cuidando dos seus interesses”: seja do seu relacionamento com a família, com os amigos, seja das suas finanças, da sua carreira, da sua folga no fim de semana ou advertindo sobre os perigos daquele lugar bacana onde quer ir.
  2. (__) [1 ponto] Frequentemente ela discorda de você, faz sua opinião parecer irrelevante, lança olhares de desaprovação ou parece insensível ao que sente a respeito das coisas.
  3. (__) [2 pontos] Taxa suas habilidades, rotula seus defeitos e usa tais medidas para valorizar ou desvalorizar atividades importantes ou corriqueiras que você realiza.
  4. (__) [3 pontos] Há um sentimento de posse, ou seja, não acha certo você se relacionar com mais ninguém que tenha um status semelhante ao dela. Está frequentemente querendo saber seu status: onde está, o que está fazendo e com quem ou o que está comprando, quanto está ganhando/gastando. 
  5. (__) [3 pontos] A pessoa se vê no direito de dizer o que você deve e o que não deve falar, seja na internet, numa conversa íntima, no seu trabalho, para sua família. E/ou faz isso com o seu dinheiro.
  6. (__) [3 pontos] Você percebe que a pessoa tenta ocupar o máximo de espaço e tempo na sua vida, evitando assim, que você tenha tempo para projetos pessoais, família e amigos. 
  7. (__) [3 pontos] Responsabiliza você pelo comportamento punitivo dela. “Você não me deixa alternativa senão…”.
  8. (__) [2 pontos] A pessoa está frequentemente pedindo favores que, para você realizar, vai ter que abrir mão de algum desejo pessoal. 
  9. (__) [2 pontos] Não há reciprocidade. Você sente que só você é paciente, só você ajuda, só você ouve.
  10. (__) [10 pontos] A pessoa costuma falar em tom ameaçador ou queixoso, faz chantagem emocional, encurrala você ao desabafar sobre seus sentimentos ou aperta seu braço, lhe segura enquanto fala, ou mesmo parte para a agressão propriamente dita. 
  11. (__) [1 ponto] Se você tenta se defender, ela lhe ameaça e demonstra estar tranquila sobre ter razão na agressão que cometeu.
  12. (__) [1 ponto] A pessoa intimida seus vínculos próximos, demonstra total desrespeito, mas não “larga” de você mesmo quando percebe que passou dos limites. 

 

RESULTADOS

Até 4 pontos – CONTORNÁVEL

casal-brigandoSe você está com uma boa saúde emocional, esses abusos podem ser evitados ou extintos a partir de sua consciência e força de vontade. Algumas atitudes simples colocam as coisas no lugar e, mantendo-se firme, o convívio dimuído com a pessoa que agride é possível, sem danos para você.

 

Entre 5 e 9 pontos – VIOLÊNCIA JÁ ESTABELECIDA

af81f91305c944c9a147fd60514c1035Provavelmente sua capacidade de lidar com o problema está diminuída e a agressão não causa danos por si só, mas num conjunto, prejudica seu bem estar e deterioira sua saúde como um todo. Provavelmente a pessoa já está tão inserida no seu dia a dia, que fica difícil dar um basta, sem perdas significativas. É preciso buscar ajudar profissional.

 

10 ou mais pontos – RELAÇÃO DOENTIA E/OU CRIMINOSA

5e01375475188428A pessoa com quem está se relacionando já o privou de seus direitos individuais básicos e o fragilizou a tal ponto, que você se sente incapaz de superar a situação, mesmo com ajuda profissional. Em vez de promover seu bem estar, saúde e vida plena, você trabalha com a redução dos danos causados pela situação. A possibilidade de agressão física é grande, se já não aconteceu e a violência moral é insuportável. É preciso buscar ajuda das autoridades, além da ajuda profissional e da sua rede de apoio, para por um fim aos abusos.

E você? Em que nível está?

Saiba que ninguém está a salvo de uma situação como a abusiva. Ao ler com atenção as sentenças, fica claro que a diferença entre cuidado e afeto e abuso é muito sutil. Mas agora que você tem informações a respeito, não se intimide, REAJA!

denuncie-violencia-contra-a-mulher-pelo-telefone-180-vereadora-mirian-pacheco

PARA DENUNCIAR ANONIMAMENTE ABUSO CONTRA A MULHER, DISQUE 180.

disque_100

PARA DEMAIS QUEIXAS, DISQUE 100.

Um forte abraço!

 


Deixe um comentário

TESTE – Demonstração de afeto: você sabe mostrar seu carinho pelas pessoas?

images (1)

Demonstrar afeto pelas pessoas a sua volta é uma atividade fundamental para si e para os outros. São muitos os benefícios, entre eles a formação e o fortalecimento da autoestima e um sentimento recompensador inigualável, que estrutura a gente para tolerar as mazelas do dia a dia!

Na educação dos filhos, como sempre digo, “o afeto precede a obediência”. Ao saber demonstrar seu carinho e amor, o impacto das ações de sua prole sobre você serão muito mais efetivos em moldar futuros comportamentos deles. Ele prezará sua aprovação, confiará em você como cuidador, ficando muito aberto as suas orientações de como proceder para tanto.

Além disso, demonstração de afeto também cria e fortalece vínculos – aquele laço que une as pessoas e as torna confiáveis e alguém com quem se pode contar em tempos difíceis.

Faça o teste e descubra como está sua capacidade de demonstrar afeto!

ACESSE O TESTE AQUI – Você sabe dar demonstração de afeto pelos outros?

Caso descubra que precisa de uma forcinha para melhorar essa habilidade, fico à disposição!

Um forte abraço.


Deixe um comentário

Teste online – Você sabe ouvir “não”?

Todo mundo diz que sabe aceitar e a discussão passa dos limites do aceitável quando o outro nos acusa de não aceitar um “não” como resposta. Mas se analisarmos vários tipos de situações, o que sobressai? Nosso conformismo exagerado? O retraimento diante das negativas? Ou a dificuldade agressiva de lidar com a rejeição, seja de uma ideia, uma proposta ou comportamento nosso?

O site Minha Vida disponibiliza um teste grátis online que mede qual o tipo de resposta se sobressai no seu comportamento mediante uma série de situações comuns a todos nós.

ACESSE O TESTE GRÁTIS – VOCÊ SABER OUVIR NÃO?

E se a frustração tem reduzido suas investidas em colocar sua opinião ou lhe provoca raiva e ataques àqueles que lhe rejeitam, que tal bater um papo com a psicóloga e saber como melhorar sua capacidade de lidar com “não”?

Forte abraço!